Biocomb


Mitos, heróis e vilões do álcool. Mais a CTNBio by squizato
21/março/2007, 11:35 am
Filed under: Agricultura, Biodiesel, Clipping, Etanol, Geral

Os dois principais diários paulistas de hoje publicam reportagens que mostram bem alguns dos desafios crescentes que os biocombustíveis devem enfrentar daqui em diante.

Na Folha de S. Paulo (somente para assinantes da Folha ou do Uol), há uma série de notícias relacionadas ao álcool. A primeira delas ressalta a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que os usineiros são “heróis nacionais e internacionais”.  Na sequência, o jornal publica reportagem sobre  fiscalização do Ministério Público do Trabalho em usina  próxima a Marília (SP). Os fiscais atuaram a empresa por falta de condições de trabalho, incluindo condições extremas e falta de equipamentos de proteção até a obrigatoriedade de comprar botas e facão em um estabelecimento perto do local de trabalho a preços exorbitantes.

Em O Estado de S. Paulo (somente para assinantes),  artigo de Marcos Sawaya Jank aborda os mitos que estão sendo apregoados à indústria da cana. Ele aborda três: o alegado fracasso das negociações entre Brasil e Estados Unidos sobre etanol, em virtude da decisão norte-americana de não reduzir as tarifas para o etanol brasileiro. O mito de que o Brasil se tornará uma grande monocultura de cana – já comentado aqui – e o terceiro de que o país se tornará um grande fazendo que prejudicará outros setores, principalmente o industrial.

A Folha também informa que hoje vence o prazo para o presidente Lula sancionar a mudança que reduz o quórum mínimo para aprovação de organismos genticamente modificados. A mudança, já aprovada no Congresso, reduz de 18 para 14, o número de votos necessários.

Também vale a pena a leitura de reportagem do correspondente do Valor Econômico (somente para assinantes) na Suíça, sobre a briga que começa a se desenhar relacioanda aos biocombustíveis. A reportagem revela que os europeus estão reclamando dos subsídios exagerados dos norte-americanos ao biodiesel. As empresas americanas estariam importando biodiesel puro de países como Brasil e Malásia, adiacionando 1% de biodiesel mineral e, com isso, se beneficiando tanto dos subsídios norte-americanos quanto europeus para a compra de biocombustíveis. O problema pode tomar corpo e se tornar uma reclamação formal na OMC (Organização Mundial do Comércio).

powered by performancing firefox

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: